Colunistas

Que tipo de Educação teremos no futuro?

16 de maio de 2019


Curta e Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os últimos dias foram corridos o que me impossibilitou de escrever para este espaço. Mas hoje, quero compartilhar com você um texto da minha amiga, estudante de psicologia e apaixonada pelas palavras, Daniela Machado, de Campo Novo.  Ontem ela escreveu o texto – anexado abaixo – sobre educação. Uma reflexão bastante oportuna diante das turbulências que o país enfrenta.

Lendo o texto na manhã de hoje, lembrei do que diz Paulo Freire:  “Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo”. Boa leitura!

 

Que tipo de Educação teremos no futuro?
Daniela Machado da Luz

Após encerrar meus exercícios exclusivos de meditação que faço diariamente, sentindo-me calma e mais disposta a refletir sobre aspectos que me cercam, perguntei a mim mesma “Que tipo de Educação teremos no futuro?”. Lembrei de como foi meu ensino médio numa escola pública. Ensino fraco, mas, existia. Sempre tive colegas que não ficavam nas aulas e sempre gostei de estudar. Preferi sempre fazer amizade com os professores do que com os colegas. Com os professores eu pensava que aprendia muito mais e hoje na universidade ainda tenho dificuldade em criar vínculos com colegas. A diferença entre eu e alguns colegas era que minha mente questionava muito o todo tempo e quando conversava com alguém, por vezes, deixava a pessoa bem atarentada. Me sentia uma menina pesquisadora com a ânsia em aprender sobre a filosofia da vida e história de tudo que existe. Nas aulas de literatura, pobre professora Marcela… eu sentava do lado da mesa dela justamente pra conversar com ela. Era até engraçado porque geralmente alunos fazem algazarra e conversam entre si, mas, eu não.
A biblioteca era como um lar pra mim. Durante minhas conversas com o professor de História pedia dicas de livros e logo já tinha lido todos. Ouvi muito “Isso nem vai cair numa prova. Está estudando isso por que?”. Será que é necessário estudar só pra passar nos testes da escola? E a escola da vida? E a história por trás de quem somos e quem disse que tem que ser assim? Eu tocava o terror! Sempre tive pessoas desmotivadas ao meu lado, às vezes até mesmo os professores. Alguma ou outra mente barulhenta lia com frequência. Então, notei que pra muita gente, estudar era uma grande obrigação.
Yuval Noah Harari, professor israelense de História, autor de livros importantíssimos como o best-seller Sapiens – Uma breve história sobre a Humanidade, faz uma análise da evolução do homem e questiona quais serão nossos próximos passos enquanto habitantes da Terra. Segundo Yuval, pela primeira vez na História não sabemos o que ensinar aos jovens. Em Santa Rosa, assisti uma palestra de Leandro Karnal, historiador de destaque no Brasil, que pela primeira vez na vida os filhos sabem mais que os pais. Ouvir declarações do tipo só me dá a certeza de que nossa sociedade irá mudar quando cada ser humano ter consciência de que precisa educar a si mesmo e não esperar por instituições ou o governo. O papel desses é de promover oportunidades e acesso, mas, o saber encontra-se a disposição de quem realmente tem vontade de aprender. Livros que antes eram restritos somente a laboratórios tenho a disposição na Internet, ou seja, o conhecimento e a informação não estão mais na mão dos poderosos e isso incomoda quem quer estar no poder. 
O meu grande orgulho é saber que sou escritora e que vivo cercada de livros porque fiz escolhas. Como dizem, “prioridades”. Estou cansada de ver tratamentos psicológicos e/ou médicos desumanizados e ver o ser humano ser tratado como um objeto. Minha mente extremamente desconfortável tenta elaborar um plano. Como eu mudarei essa situação? Com armas? Não, pois, armas matam. Ignorância não se atinge nem com metralhadora. Se o ladrão que invade meu quintal merece um tiro, quem rouba dinheiro público merece o que? Desse jeito no futuro, todos seremos mortos, pois, não somos perfeitos e as gerações futuras não merecem a morte como herança, se as gerações futuras existirem. 
Elaboro listas de livros que devo ler que não estão na bibliografia da faculdade, troco ideias com professores os quais não sou aluna… dou um jeito! Meu objetivo é claro: Aprender. E o que aprendo compartilho com quem eu posso e quiser justamente porque se sei alguma coisa foi porque alguém um dia, compartilhou algo comigo. 
Viver em uma sociedade terrivelmente ignorante e tóxica me causa muita dor emocional, então, procuro mudar e aconselho as pessoas a mudarem também. Não é um processo rápido, por isso, comece o quanto antes. Digo que rico é quem tem tempo. Você não tem tempo pra ler? Se a sua visão do mundo não te causar dor, você continua ignorante. O dia que doer até em você, aí encontrará tempo. 
Nosso país, nossa sociedade mudará para melhor com pessoas que possuem livros em casa, que estudam nas horas livres e que sempre buscam se tornar  melhores no que fazem. 
Atualmente algumas de nossas escolas nem merenda e papel higiênico possuem, sem falar das escolas que estão sendo fechadas. Existem professores mal pagos e mal formados. Não espere dos outros um grande passo na evolução humana porque se isso acontecer você evolui junto ou não existirá mais. Tal situação já está doendo muito em quem já despertou para a realidade. Além de não sabermos nada e sermos imperfeitos, estamos destruindo o planeta. O que existe pior que isso? Por amor, arrume tempo. Acorde. Saia da Matrix. Me mostre o que você aprendeu atirando com a sua arma ou o que ganhou apenas possuindo-a. Estude e aprenda, pois, quem sabe você pode ser o político honesto que sonhamos, o jornalista que não é manipulado, o empresário que não sonega impostos, o professor inteligente que compartilha com prazer o que sabe, o cientista que criou o projeto que salvou milhares de vida ou até mesmo o policial que irá falar sobre como sobram vagas nos presídios… estude por conta, aprenda e viva a mudança.

 

 

Siga a página da Dani no Facebook!

Os comentários estão desativados.

error: Conteúdo protegido !!!