Importadas do site antigo

70% dos alunos do Ensino Médio no RS têm aprendizado insuficiente em português e matemática

30 de agosto de 2018


Curta e Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sete em cada 10 alunos do Ensino Médio na rede estadual do Rio Grande do Sul apresentaram nível insuficiente de conhecimento em língua portuguesa e matemática em prova aplicada pelo Ministério da Educação (MEC). Conforme dados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2017, divulgados nesta quinta-feira (30), 70,46% dos estudantes demonstraram baixo nível de proficiência na própria língua, 28,15% têm capacidade básica no idioma e apenas em 0,8% deles se constatou nível avançado em português.

A interpretação em níveis insuficiente, básico e avançado é baseada em critérios da Secretaria de Educação Básica do MEC. Apesar do alto índice de alunos da rede estadual de Ensino Médio com baixa proficiência em língua portuguesa, o resultado no Rio Grande do Sul – e nos demais Estados do Sul, além do Sudeste, Mato Grosso do Sul, Goiás e Pernambuco – é superior à média nacional. No Brasil, pelo que mostra o Saeb 2017, os estudantes matriculados no Ensino Médio obtiveram, em média, nível 2 de um total de 9 na disciplina.

Isso demonstra, em geral, que o estudante brasileiro de Ensino Médio consegue identificar uma ideia comum em textos diferentes, enxerga a ironia em tirinhas e entende o sentido da linguagem verbal e não verbal em notícias e charges. Não demonstra, porém, capacidade de reconhecer o tema de uma crônica nem identifica opiniões divergentes sobre o mesmo tema em diferentes textos.

No 3º ano do Ensino Médio da rede estadual gaúcha, o resultado em língua portuguesa é ainda pior do que em matemática: 70,15% dos estudantes demonstraram capacidade insuficiente de lidar com números. O índice de alunos com conhecimento avançado de matemática também é maior do que em português: 1,69% dos avaliados conseguiram, por exemplo, determinar uma das medidas de uma figura tridimensional utilizando o Teorema de Pitágoras.

A situação é semelhante no 9º ano do Ensino Fundamental no Rio Grande do Sul, em que os alunos também demonstraram mais conhecimentos insuficientes (60,67% em matemática, 57,46% em português) do que em nível básico ou avançado.

Já no 5º ano do Ensino Fundamental, a demonstração da aprendizagem esperada dos estudantes gaúchos para essa idade supera a considerada insuficiente na prova aplicada pelo MEC: 53,55% dos alunos obtiveram desempenho no nível básico em língua portuguesa e 59,82% conseguiram o mesmo em matemática.

Mesmo com índices insatisfatórios em língua portuguesa e matemática, os estudantes gaúchos tiveram desempenho melhor do que em 2015 em todos os níveis avaliados pelo Saeb. No Ensino Médio, o Rio Grande do Sul aparece em quatro lugar no país no desempenho em matemática – atrás de Espírito Santo, Distrito Federal e Santa Catarina. E, com 282,7 pontos em uma escala que vai de zero até 500, ficou acima da média do país, que foi de 270 pontos. Em português, está na segunda posição, com 278 pontos, atrás do Espírito Santo. A média do país ficou em 268 pontos. As provas de português e matemática foram aplicadas para 5,4 milhões de estudantes em 70 mil escolas públicas e privadas no ano passado.

O que é o Saeb
O Saeb é uma avaliação aplicada pelo MEC e composta por questionários respondidos por professores, diretores e alunos, além de provas de português e matemática aplicadas a estudantes do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e do 3º ano do Ensino Médio. A avaliação ocorre a cada dois anos e a última edição foi aplicada nos dias 23 de outubro e 3 de novembro de 2017, com mais de 5,4 milhões de estudantes envolvidos em todo o país.

As provas são aplicadas em todas as escolas públicas com pelo menos 10 alunos matriculados em cada série avaliada. Na rede privada, a avaliação é amostral. Os resultados são apresentados em uma escala de 0 a 500, com níveis de proficiência de 0 a 9. Os dados do Saeb ajudam a compor o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que terá os resultados divulgados na segunda-feira (3) pelo Ministério da Educação. 

Fonte: MEC

Os comentários estão desativados.