Santo Augusto

Árvores serão substituídas para obras no Centro de Santo Augusto

16 de abril de 2019 Em levantamento inicial, calcula-se que em torno de 40 árvores poderão ser substituídas.


Curta e Compartilhe
  • 10
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    10
    Shares

 

Está em andamento processo licitatório que prevê asfaltamento e drenagem em trajetos das Ruas Rio Branco e Guerino Boligon, no bairro Centro, proximidades da Sicredi em Santo Augusto. Para a realização da obra, algumas árvores possivelmente terão que ser substituídas.

O assunto têm gerado especulações na comunidade, e visando esclarecer a todos, representantes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente estiveram na Rádio Querência na manhã desta terça-feira.

A Licenciadora Ambiental Gabriela Werlang Puhl informou que um estudo está sendo feito para futuro Licenciamento Ambiental, visando a substituição das espécies.

As obras, principalmente de drenagem – quando são feitas valas para colocação de tubos – atingirão as raízes das árvores, o que as tornará fracas e passíveis de queda. Além disso, o estudo mostrou que algumas espécies, principalmente os ingás, estão com estado fitossanitário ruim, o que apresenta risco aos pedestres, e por isso, também serão retiradas, informou Gabriela.

Segundo a Engenheira Agrônoma Juçara Ceolin, que também auxilia no levantamento, a previsão inicial indica que em torno de 40 árvores terão que ser substituídas. “Vai haver essa necessidade, elas estão com a raiz bastante prejudicada, com essa obra que vai mexer mais, se torna inviável manter, por questão de segurança inclusive, as árvores já estão com um tempo de vida útil bastante longo, e se tu mexer nelas, isso vai ficar inclusive perigoso em função delas estarem deterioradas”.

Ainda não há previsão de quando o trabalho de retirada irá começar, mas os servidores ressaltaram que outras espécies serão plantadas no local, visando minimizar o prejuízo ambiental.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, Luiz Josmar Bertolo, lembrou que todas as árvores dos passeios públicos podem ser retiradas – se houver liberação – mediante substituição, e se isso não ocorrer, cabe processo administrativo.

Confira a entrevista concedida à Rádio Querência;

Os comentários estão desativados.