Brasil

Auxílio emergencial de R$ 600,00 começa ser pago hoje

9 de abril de 2020 Veja como serão feitos os pagamentos:


Curta e Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

A  Caixa Econômica Federal lançou, na terça-feira (7), o aplicativo para que trabalhadores  informais possam solicitar as três parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial, uma das medidas criadas para atenuar a perda de renda durante a crise do coronavírus. Para mães solteiras, o valor poderá ser de R$ 1,2 mil por mês.

As primeiras parcelas começam a ser pagas nesta quinta-feira (9).

A plataforma está disponível nas lojas dos sistemas Android e iOS com o nome “Caixa | Auxílio Emergencial”. O app é voltado para as pessoas que não tenham cadastro em programas do governo federal e que se enquadrem nos critérios para concessão do benefício.

Confira o passo a passo como solicitar o auxílio:

Etapa 1 – Entre na loja de aplicativos do seu smartphone e busque o aplicativo “Caixa | Auxílio Emergencial”. Faça o download.

Etapa 2 – Ao abrir o aplicativo, clique em “Realize sua adesão” .

Etapa 3 – Na tela, aparecerão os critérios necessários para receber o benefício. Marque os dois pontos e clique em “Tenho os requisitos, quero continuar”, caso você se enquadre.

Etapa 4 – Preencha o seu nome, CPF, data de nascimento e nome da mãe para avançar.

Etapa 5 – Preencha o número do seu celular e operadora. A Caixa enviará por mensagem SMS um código de verificação.

Etapa 6 – Insira o código de verificação recebido no seu celular e clique em “Continuar”.

Etapa 7 – Preencha sua renda mensal, atividade profissional, cidade e Estado onde reside.

Etapa 8 – Informe mais detalhes sobre sua composição familiar e continue.

Etapa 9 – Escolha como você deseja receber o auxílio, caso seja selecionado. É possível definir uma conta bancária já existente ou abrir uma nova para o depósito das parcelas.

Etapa 10 – Caso você tenha escolhido receber em uma conta já existente, preencha os dados bancários.

Etapa 11 – Ao final, aparecerá uma tela para a confirmação dos dados  preenchidos no aplicativo. Caso as informações estejam corretas, clique  em “Concluir sua solicitação”. A  partir daí, o cadastro será analisado pelo governo.

Veja como serão feitos os pagamentos:

Beneficiários do Bolsa Família

Quem já recebe o Bolsa Família não precisa se cadastrar para receber o benefício. Os trabalhadores que se enquadrarem nas regras receberão o auxílio individual pelo mesmo meio em que recebem o Bolsa Família. Os trabalhadores receberão o benefício que for mais vantajoso.

Pagamentos seguem o calendário do Bolsa Família:

  • primeira parcela nos últimos dez dias úteis de abril
  • segunda parcela nos últimos dez dias úteis de maio
  • terceira parcela nos últimos dez dias úteis de junho

Trabalhadores inscritos no Cadastro Único

Os inscritos no CadÚnico, mas que não recebem o Bolsa Família, também não precisarão se inscrever.

Para quem tem conta no Banco do Brasil ou poupança na Caixa:

  • primeira parcela a partir de 9 de abril
  • segunda parcela:
    – 27 de abril para nascidos de janeiro a março
    – 28 de abril para nascidos de abril a junho
    – 29 de abril para nascidos de julho a setembro
    – 30 de abril para nascidos de outubro a dezembro
  • terceira e última parcela:
    – 26 de maio para nascidos de janeiro a março
    – 27 de maio para nascidos de abril a junho
    – 28 de maio para nascidos de julho a setembro
    – 29 de maio para nascidos de outubro a dezembro
  • Para quem não tem conta nesses bancos:

    • primeira parcela em 14 de abril
    • segunda parcela:
      – 27 de abril para nascidos de janeiro a março
      – 28 de abril para nascidos de abril a junho
      – 29 de abril para nascidos de julho a setembro
      – 30 de abril para nascidos de outubro a dezembro
    • terceira e última parcela:
      – 26 de maio para nascidos de janeiro a março
      – 27 de maio para nascidos de abril a junho
      – 28 de maio para nascidos de julho a setembro
      – 29 de maio para nascidos de outubro a dezembro

    Demais trabalhadores

    Os demais trabalhadores que se enquadrem nas regras para receber o benefício deverão se cadastrar pelo aplicativo ou pelo site (preferencialmente). Quem não tiver acesso à internet poderá se cadastrar nas agências da Caixa e casas lotéricas.

    • primeira parcela em até cinco dias úteis após o cadastro, iniciando em 14 de abril;
    • segunda parcela:
      – 27 de abril para nascidos de janeiro a março
      – 28 de abril para nascidos de abril a junho
      – 29 de abril para nascidos de julho a setembro
      – 30 de abril para nascidos de outubro a dezembro
    • terceira e última parcela:
      – 26 de maio para nascidos de janeiro a março
      – 27 de maio para nascidos de abril a junho
      – 28 de maio para nascidos de julho a setembro
      – 29 de maio para nascidos de outubro a dezembro

     

    Quem tem direito?

    O benefício será pago a trabalhadores informais, desempregados, contribuintes individuais do INSS e MEIs. Será preciso se enquadrar em uma das condições abaixo:

    • ser titular de pessoa jurídica (Micro Empreendedor Individual, ou MEI);
    • estar inscrito Cadastro Único (CadÚnico) para Programas Sociais do Governo Federal até o último dia dia 20 de março;
    • cumprir o requisito de renda média (renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa, e de até 3 salários mínimos por família) até 20 de março de 2020;
    • ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social.

    Além disso, todos os beneficiários deverão:

    • ter mais de 18 anos de idade e CPF ativo;
    • ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50);
    • ter renda mensal até 3 salários mínimos (R$ 3.135) por família;
    • não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.

    A mulher que for mãe e chefe de família, e estiver dentro dos demais critérios, poderá receber R$ 1,2 mil (duas cotas) por mês.

    Na renda familiar, serão considerados todos os rendimentos obtidos por todos os membros que moram na mesma residência, exceto o dinheiro do Bolsa Família.

    Se, durante este período de três meses, o beneficiário do auxílio emergencial for contratado no regime CLT ou se a renda familiar ultrapassar o limite durante o período de pagamento, ele não deixará de receber o auxílio.

Os comentários estão desativados.

error: Conteúdo protegido !!!