Geral

Falta pouco para soja recuperar preço de Maio

14 de junho de 2019 China comprou entre três a quatro cargos de soja brasileira nesta semana


Curta e Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a quarta-feira (12.06) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas subindo pelo segundo dia consecutivo. A alta desta vez foi de 0,37%, para R$ 81,79/saca, reduzindo as perdas de junho para 0,96%.

No interior, o preço subiu significativamente mais, puxado pelo segundo dia de vendas fortes de farelo para exportação – mais 400 mil toneladas, além das 500 mil toneladas negociadas no dia anterior. Isto permitiu uma elevação de 1,20% nos preços da soja grão no interior do país, para R$ 76.66/saca, reduzindo as perdas de junho para 0,61%.

“Falta relativamente pouco para empatar: a alta de 1,13% na cotação da soja em Chicago suplantou a queda de 0,32% do dólar no Brasil e os prêmios caíram levemente. Com isto, o preço médio da soja subiu. A China comprou entre 3-4 cargos de soja brasileira nesta semana. O mercado de Paper de Paranaguá não negociou nada hoje”, aponta o analista da T&F Consultoria Agroeconômica, Luiz Fernando Pacheco.

FUNDAMENTOS

No campo dos fundamentos, dois fatores seguem preponderantes: a piora no clima em plena época de plantio de soja nos Estados Unidos e a queda de consumo na china por conta da peste suína africana. “Acreditamos que o consumo de carne suína na China tem sido fraco por preocupações de consumidores e processadores ligadas à segurança do alimento”, diz o relatório.

“Perspectivas climáticas adversas poderiam impor maiores atrasos no avanço da semeadura nos EUA e o mercado começa a especular com possível impacto sobre a área plantada e o potencial de rendimentos. Mesmo com as expectativas de que parte da área destinada ao milho seja transmitida à soja, o mercado é cauteloso quanto a poder ser semeada no tempo e na forma”, conclui Pacheco.

Por: AGROLINK –Leonardo Gottems

Os comentários estão desativados.

error: Conteúdo protegido !!!