Saúde
Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

Governo amplia grupos que serão testados para coronavírus no RS

13 de maio de 2020 Serão repassados mais de 135 mil testes rápidos aos municípios. Pessoas acima de 50 anos e motoristas de transporte de cargas e de transporte público passarão a ser testados.


Curta e Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

O governo do Rio Grande do Sul anunciou na tarde desta terça-feira (12) que ampliará os grupos que serão testados para a Covid-19. Até então, estavam sendo realizados os exames em profissionais da saúde e da segurança pública, idosos acima de 60 anos sintomáticos e pacientes de casos graves.

Segundo o governador Eduardo Leite, o estado recebeu do Ministério da Saúde mais de 135 mil testes rápidos e também adquiriu testes padrão RT-PCR.

“A política de testagem é super importante. Infelizmente não há condições técnicas e financeira de se fazer testagem em massa na população. Mas os critérios utilizados para que sejam aplicados os testes rápidos e do RT-PCR foram sempre cientificamente estruturados para que possamos ter a visão correta de como se comporta a disseminação do coronavírus no estado”, afirmou o governador.

Passarão a ser testadas, então, pessoas com mais de 50 anos, motoristas de veículos de transporte de cargas e de transporte público, trabalhadores que atuem em lugares vinculados à saúde, como hospitais e unidades de atenção básica — antes apenas os profissionais da área eram testados —, pessoas que moram com pacientes que testaram positivo para coronavírus via testes padrões e a população carcerária.

Além disso, pacientes internados com síndromes respiratórias agudas graves que testaram negativo para o vírus em um primeiro exame poderão ser testados novamente.

O governo informou destes testes, 26,2 mil serão repassados para as Unidades Regionais de Saúde e que as regiões que apresentaram surtos de coronavírus terão as testagens ampliadas.

“A gente tem visto onde tem localidades que acontecem alguns surtos. Estamos distribuindo para que as regionais possam apoiar os municípios nas estratégias de testagem e contenção desses surtos, que ocorrem em indústrias e lares de idosos. Serão enviados para as regionais porque os surtos acabam atingindo mais de um município”, explicou o coordenador do Centro de Operações de Emergência da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Marcelo Vallandro.

*G1

Os comentários estão desativados.

error: Conteúdo protegido !!!