Geral

Homem ataca alunos com golpes de machado em escola de Charqueadas

21 de agosto de 2019 Criminoso fugiu e é procurado pela polícia


Curta e Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Um homem atacou alunos com golpes de machado no Instituto Estadual Educacional Assis Chateubriand, em Charqueadas, na Região Carbonífera, nesta quarta-feira (21). A direção da escola informou que há três estudantes — entre 13 e 16 anos — e uma professora feridos.

Após desferir golpes contra os alunos, o homem, que portava um galão com combustível, teria tentado atear fogo a uma sala de aula. Segundo o chefe do Corpo de Bombeiros Voluntários, Maurico Naatz, os ferimentos nas vítimas são nas mãos, costas, pernas. A professora teria sido golpeada na cabeça. A Secretaria Estadual de Educação afirma que nenhum dos atingidos teve ferimentos graves. O Hospital de Charqueadas ainda não tem posicionamento oficial.

— Ele entrou dentro da escola com a machadinha e um galão de gasolina — relatou Naatz.

Ele disse ainda que não há informação sobre o vínculo do agressor com o colégio. Os alunos foram liberados das atividades escolares.

— Todas as vítimas foram encaminhadas ao hospital. Estão em estado regular, mas bem nervosos pelo fato que aconteceu na escola. Todas estão fora de risco, mas com ferimentos. A comunidade escolar está bem agitada com esse fato.

A Brigada Militar informou que foi acionada por volta das 13h10min e faz buscas ao agressor. O vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Junior, que responde interinamente pelo comando do Estado, está em deslocamento para Charqueadas. O secretário da Educação do RS, Faisal Karam, que também segue para o município, disse em entrevista à Rádio Gaúcha que as vítimas estariam fora de risco:

— A princípio, agora está tudo sob controle — afirmou.

Segundo a BM, o efetivo empregado nas buscas ao autor é de 30 policiais militares. De acordo com a comandante do Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO) Centro-Sul, coronel Bianca Burguer, o agressor não foi reconhecido pela comunidade escolar. A polícia tem imagens de câmeras de monitoramento da escola, que estão sendo analisadas para tentar identificar o criminoso. O agressor estaria sozinho.

 

*GaúchaZH

Os comentários estão desativados.

error: Conteúdo protegido !!!