Início Notícia Voltar

Inter para em tática do Juventude e perde por 1 a 0 na semifinal do Gauchão

Marcos Vinicios marcou o gol do time da Serra na partida disputada em campo maltratado do Estádio Montanha dos Vinhedos

03/05/2021 08:32 por Ed Junior


CapaNoticia

Inter tem a missão no próximo final de semana de reverter o placar no Beira-Rio | Foto: Ricardo Duarte/Divulgação/CP


Com uma aplicação tática eficiente, anulando as pretensões do Inter na partida de ida da semifinal do Gauchão, o Juventude venceu o Colorado na tarde deste domingo por 1 a 0 e sai em vantagem na disputa por um lugar na final. A pressão no meio de campo, marcação firme, e o aproveitamento de erros individuais do time de Miguel Ángel Ramírez resultaram no placar final a favor da equipe da Serra. O responsável pelo gol, no gramado maltratado do Estádio Montanha dos Vinhedos, foi o atacante Marcos Vinicios.

O primeiro tempo foi uma sucessão de lances sem criatividade de um Inter lento e desorganizado. O Juvuntude marcava no campo de ataque e dava poucos espaços. Em uma partida feia para ambos os lados, Wescley, movimentando o setor ofensivo dos mandantes, e Maurício, arriscando de fora da área para os visitantes, foram os únicos pontos positivos. Na metade inicial, faltou futebol para as duas equipes.

A etapa final foi de maior movimentação e chances. Logo nos primeiros minutos, o Juventude pôde abrir, mas foi traído pelo quique no gramado. Um pênalti marcado para o Inter após saída do goleiro para fechar o ângulo de Palacios foi anulado após interferência do VAR. O gol do Juventude saiu aos 26 minutos: um chute forte de Marcos Vinicios estorou o travessão antes de cair e cruzar a linha; nem estufou a rede.

A próxima partida do Colorado é na quarta-feira, às 21h, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertados. O adversário é o Olímpia, no Beira-Rio. Pelo Gauchão, o clube volta a enfrentar o Juventude no sábado, às 19h, em Porto Alegre, no jogo de volta da semifinal.

Jogo sem criações e chances claras de gol

Se os termômetros marcavam temperatura alta no estádio Montanha dos Vinhedos, dentro de campo, a primeira etapa da partida foi fria. O gramado surrado, com tufos queimados de grama em diversas áreas, foi um empecilho para as equipes semifinalistas, que diversas vezes mostraram dificuldade para acertar passes e o domínio de bola. O Juventude começou com maior intensidade e uma marcação alta, sem dar espaços para a saída do Colorado, obrigando o meio campo do Inter a tentar toques longos.

Foi assim, entretanto, que os próprios mandantes quase abriram o marcador aos oito minutos da primeira etapa. Wescley ganhou na velocidade de Dourado e cruzou para Capixaba, que mandou por cima da goleira. O árbitro Douglas Schwengber da Silva marcaria o tiro de meta, mas foi flagrado impedimento na origem pela auxiliar Maíra Mastella Moreira.

Lentamente, os comandados de Miguel Ángel Ramírez descongestionavam o seu lento meio campo. Somente aos 20 minutos o time todo conseguiu avançar da intermediária e arrancou uma sequência de três escanteios, mas sem levar perigo real ao gol de Carné. O Juventude também não chegava muito, mas, quando o fazia, criava chances mais claras. Aos 25 minutos, Wescley aproveitou erro na saída de bola de Yuri Alberto após cobrança de escanteio do time da Serra, avançou pela direita e cruzou. Matheus Peixoto, com Lucas Ribeiro na cola, não alcançou a bola e se lançou ao chão.

Na beira do gramado, o técnico colorado chamava atenção para a saída de bola e cobrava maior composição e velocidade. Nos minutos finais, a parte tática foi mais ajustada, e, com toques rápidos, o Inter voltou a adentrar na área do Juventude. Aos 37, Patrick errou domínio, e a bola sobrou para Mauricio, que emendou de primeira, por cima do travessão. Na mesma volta do relógio, Yuri Alberto recebeu na área, mas Vitor Mendes se adiantou para fazer o corte.

Maurício, aos 41, tentou novamente o chute, desta vez de fora da área. Sem perigo: a bola cruzou a linha de fundo ao lado da trave esquerda. A primeira parcial teria acabado fria não fosse uma discussão por um lateral, aos 45. Lucas Ribeiro e Matheus Peixoto acabaram amarelados pela confusão. Após um minuto de acréscimo, fim de parcial.

Maior movimentação na segunda etapa

Sem alterações, os times voltaram a campo com a mesma estratégia. Aos três minutos, o Juventude ficou perto de abrir o marcador, depois que Marcos Vinicios aproveitou vacilo da zaga colorada e disparou pelo meio, sozinho. Na entrada da área, ao conduzir, a bola quicou no gramado ruim e acelerou, ficando nas mãos de Marcelo Lomba, que saía do gol para fechar o ângulo. Após o lance, o atacante ficou caído de joelhos no chão e deu dois socos. Empolgado, o Juventude chegou novamente, Paulo Henrique levou a melhor pela direita e cruzou, mas Marcos Vinicios errou o alvo.

Depois, foi a vez do Inter levar perigo. Aos 8, Patrick chegou bem pela esquerda, mas Eltinho afastou cruzamento de cabeça. Na sobra do escanteio, Maurício tentou o chute na sobra, mas a bola desviou no joelho de Vitor Mendes. Na sequência, Palácios recebeu pela esquerda, entrou na área e cortou pra dentro, mas a zaga cortou o chute na metade do caminho.

Mais participativo, no minuto posterior, o chileno ganhou do marcador e avançou, agora pela esquerda. O goleiro Marcelo Carné saiu para abafar, saltando na bola e derrubando o adversário. O árbitro marcou pênalti, gerando reclamações. Após ser chamado pelo VAR, ele fez a revisão e anulou a marcação, uma vez que houve toque na bola antes, mudando a trajetória.

Mudanças táticas não surtem efeito

Na tentativa de dar mais mobilidade, Ramirez fez modificações que alteraram a configuração tática. Lucas Ribeiro e Edenílson saíram para dar lugar a Rodrigo Lindoso, respectivamente. Assim, Dourado foi deslocado para a zaga. E foi justamente nas costas do capitão que o o Juventude conseguiu o lance que abriu o marcador. Wescley cruzou para Marcos Vinicios, que deixou o marcador para trás e avançou livre. Dessa vez, chutou firme a bola, que acertou o travessão e quicou dentro do gol, abrindo o placar para o Juventude. 

Com o revés, o técnico colorado mexeu novamente, colocando Caio Vidal na vaga de Palacios e Thiago Galhardo na de Maurício. Mas as mudanças não surtiram o efeito esperado, com a zaga ainda sendo responsável pela construção das jogadas diretamente com o ataque. O Colorado se lançava ao ataque, mas a afobação pela necessidade de marcar forçavam erros de passe e cruzamentos. Foi assim até o final dos cinco minutos de acréscimo: o time tentava nas bolas altas, mas não conseguiu empatar. No apito final, 1 a 0 para o Juventude, e a missão colorada no próximo final de semana de reverter o placar no Beira-Rio.

Campeonato Gaúcho 2021 |  Semifinal

Juventude 1
Marcelo Carné; Paulo Henrique, Vitor Mendes, Rafael Forster e Eltinho (Alyson); João Paulo, Matheus Jesus (Elton) e Wescley (Bocheca); Capixaba, Marcos Vinicios e Matheus Peixoto (Rafael Grampola).
Técnico: Marquinhos Santos

CP



Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.


Ouça aqui

89.7 FM

Sábado Bom Demais

Ouça aqui

91.5 FM

Sabadão da Alegria
89.7
91.5