Início Notícia Voltar

Mulher leva cadáver em cadeira de rodas para sacar empréstimo de R$ 17 mil

Funcionários do local suspeitaram da ação da mulher, identificada como Érika de Souza Vieira Nunes, e acionaram a polícia

17/04/2024 08:27 por redação


CapaNoticia

Foto: Reprodução


 

No Rio de Janeiro, uma mulher foi presa em flagrante por tentativa de furto mediante fraude e vilipêndio de cadáver na tarde desta terça-feira (16). Ela levou um idoso já morto em uma cadeira de rodas para sacar um empréstimo bancário no valor de R$ 17 mil. O fato aconteceu em uma agência bancária de Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro. 

Funcionários do local suspeitaram da ação da mulher, identificada como Érika de Souza Vieira Nunes, e acionaram a polícia. O Samu também foi chamado ao local, constatando que Paulo Roberto Braga, 68 anos, estava morto — aparentemente havia horas.

 

— Ela tentou simular que ele fizesse a assinatura. Ele já entrou morto no banco — explica o delegado Fábio Luiz.

A mulher afirmou, na delegacia, que cuidava do tio, que estava debilitado. A polícia apura agora se ela é mesmo parente do homem e como a morte aconteceu. As informações são do g1.

Mulher tentou conversar com o morto

As atendentes do banco registraram o ocorrido em um vídeo. As imagens mostram que a mulher tentava manter a cabeça do homem reta, utilizando sua mão como sustentação. Apesar disso, por vezes, a cabeça do cadáver despencava para a frente ou para os lados.

O vídeo ainda mostra que a mulher tentava manter uma conversa com o suposto parente, que, por estar morto, não respondia. 

— Tio, tá ouvindo? O senhor precisa assinar. Se o senhor não assinar, não tem como. Eu não posso assinar pelo senhor, o que eu posso fazer eu faço — afirma a mulher. 

A suposta parente mostra ainda um documento ao homem, dizendo que ele precisava assinar da mesma forma que estava ali. Como o homem não segura a caneta, ela disfarça: 

— O senhor segura a cadeira forte para caramba aí. Ele não segurou a porta ali agora? — questiona às atendentes, que afirmam não ter presenciado tal ato. 

Em um determinado momento, as funcionárias tentam intervir na situação. Uma delas comenta sobre a palidez do homem: 

— Ele não está bem, não. A corzinha não tá ficando — teria dito a atendente. 

"Ele é assim mesmo", rebateu a suposta sobrinha na sequência. 

Apuração do caso

A mulher ainda prestava depoimento na delegacia por volta de 19h. A polícia apura se ela cometeu furto mediante fraude ou estelionato. Os agentes também investigam se outras pessoas teriam ajudado a mulher a cometer os crimes. 

— O principal é: a gente continuar a investigação, para a gente identificar demais familiares, e saber se quando esse empréstimo foi realizado se ele estava vivo, qual é a data desse empréstimo — explica o delegado.

 

Fonte: GZH



Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.


Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.

Ouça aqui

89.7 FM

Programação Religiosa

Ouça aqui

91.5 FM

Batidão Sertanejo
89.7
91.5