Geral
Isadora Neumann / Agência RBS

Número de vítimas de homicídios no RS tem queda de 40% em agosto

12 de setembro de 2019 Latrocínios se mantêm estáveis também em comparação com o mesmo mês de 2018


Curta e Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Confirmando a tendência de queda verificada nos últimos meses, agosto deste ano foi o menos violento desde 2006, se levado em conta o número de vítimas de homicídios no Rio Grande do Sul. Foram 117 mortes, 79 a menos que no mesmo período do ano passado. Os números foram divulgados no começo da tarde desta quinta-feira (12) pela Secretaria da Segurança Pública do RS.

Em Porto Alegre, os índices também apresentaram queda. Pela primeira vez na última década, a Capital fechou o mês com menos de 20 homicídios. Foram 16 casos contra 42 registrados em agosto de 2018 — redução de 61,9%.

Se levado em conta os números de janeiro a agosto deste ano, o Rio Grande do Sul registrou uma diminuição de 24,3% nos homicídios. Em 2018, foram 1.631 vítimas assassinadas. Este ano, 1.234. É o menor número de vítimas desde 2011 e a a maior queda histórica de toda a série.

No acumulado desde janeiro, a redução nos homicídios na Capital é de 45,2%, com 218 assassinatos neste ano ante os 398 do mesmo período de 2018.

A divulgação, que ocorreu no Palácio Piratini, deu-se antes da reunião de Gestão Estatística em Segurança, em que participam comandantes da Brigada Militar e delegados dos 18 municípios mais violentos do Estado. O governador em exercício e secretário da Segurança, Ranolfo Vieira Júnior, disse que a queda está relacionada ao trabalho das corporações e ao programa RS Seguro.

— É um dado que temos de comemorar. A vida humana, como sempre digo, é o bem supremo. A taxa de homicídio é a forma que se afere Segurança Pública em todo o mundo. Então, essa redução é muito importante — afirmou.

Enquanto os assassinatos em geral têm queda acentuada, o de mulheres em decorrência de questões de gênero apresenta redução menor, de 9,68%. São 66 feminicídios em 2019 no Rio Grande do Sul. No mesmo período do ano passado, foram 73 vítimas. Os casos de tentativa de feminicídio também têm queda, de 6,4%.

Ranolfo defendeu a atuação da investigação para buscar número menor de crimes do tipo.

— O feminicídio tem praticamente 100% de elucidação. Ele acontece e praticamente já se tem quase que na hora, em 98%, 99% dos casos, a autoria do fato. Não tenho dúvida, muitas vezes na relação familiar, por assim dizer, que a prevenção desse tipo de crime com policiamento é difícil. Precisamos fazer trabalho de conscientização — pontuou.

Latrocínios

Nos casos de latrocínio, o número se manteve estável no Rio Grande do Sul no mês de agosto. Foram oito casos em ambos os anos. Mas, se levado em conta o período entre janeiro e agosto deste ano, houve queda de 28,7%. Foram 47 vítimas de roubo com morte. No mesmo período de 2018, haviam sido 66 casos.

Em Porto Alegre, o número de latrocínios caiu pela metade. Foram 10 casos no ano passado e cinco em 2019.

Roubo de veículos

O número de roubo de veículos também vem caindo. Entre janeiro e agosto, criminosos roubaram 7.821 carros no Estado, 31,1% menos do que no mesmo período de 2018. Segundo o governo, a queda percentual é a menor desde que os dados começaram a ser tabulados.

*GaúchaZH

Deixe seu comentário

error: Conteúdo protegido !!!