Geral

Após atingir recorde, dólar comercial cai 1%, a R$ 4,121

22 de janeiro de 2016


Curta e Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O dólar comercial é negociado em queda, após atingir cotação recorde na quinta-feira. Às 10h23, a moeda americana era cotada a R$ 4,119 na compra e a R$ 4,121 na venda, um recuo de 1,08% ante o real. Já a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue o movimento externo e opera em alta. O Ibovespa registra ganhos de 1,47%, aos 38.273 pontos.

 

Ricardo Gomes da Silva, superintendente da Correparti Corretora de Câmbio, lembra que a desvalorização do dólar está atrelada ao ambiente externo, com os investidores esperando um novo alívio monetário pelo Banco Central Europeu (BCE) e com a recuperação dos preços do petróleo, que tende a beneficiar a moeda dos países produtores do óleo. O barril do tipo Brent registra alta de 6,43%, a US$ 31,13 o barril.

 

“Tudo indica que o ambiente externo de menor aversão ao risco poderá beneficiar o real, corrigindo parte dos excessos de ontem”, afirmou, em relatório a clientes.

 

Na quinta-feira, dia seguinte à decisão do Banco Central (BC) de manter a taxa básica de juros inalterada em 14,25% ao ano, o dólar comercial fechou na maior cotação nominal registrada desde a criação do Plano Real, em 1994. A moeda americana avançou 1,51% contra o real, a R$ 4,166 para venda, um recorde parta valores de fechamento. O recorde anterior era dos R$ 4,145 registrados em 23 de setembro.

 

O câmbio turismo acompanhou o movimento. No fechamento da quinta-feira, a divisa americana em espécie foi encontrada em casas de câmbio no Rio com valor entre R$ 4,25 e R$ 4,44, já com o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), de 0,38%. No cartão pré-pago, sobre o qual incide IOF de 6,38%, a moeda era vendida entre R$ 4,47 e R$ 4,70. Já o euro ultrapassava a taxa dos R$ 5 no plástico e chegava a R$ 4,83 no papel.

 

PETROBRAS SOBE COM PETRÓLEO

O avanço do preço do petróleo beneficia as ações da Petrobras. Os papéís preferenciais (PNs, sem direito a voto) registram alta de 4,66%, cotados a R$ 4,71, e os ordinários (ONs, com direito a voto) sobem 6,35%, a R$ 6,69.

 

As ações da Vale também operam com ganhos. As preferenciais sobem 3,20% e as ordinárias registram valorização de 4,15%. O mesmo ocorre com os papéis do setor bancário, que possuem o maior peso na composição do Ibovespa. As altas das preferenciais do Itaú Unibanco e do Bradesco são de, respectivamente, 1,25% e 0,88%.

 

Na Europa, os principais indicadores operam em alta, em um ambiente de menor aversão ao risco. O DAX, de Frankfurt, sobe 1,99%, e o CAC 40, da Bolsa de Paris, tem alta de 3,08%. No caso do FTSE 100, de Londres, a variação é de 2,34%.

 

Dpto de Jornalismo RQ

Fonte: O Globo-SP

Postado Por: Ed Jr (Goianinho)

Os comentários estão desativados.

error: Conteúdo protegido !!!