Colunistas

MARCO AURÉLIO E A FILOSOFIA ESTOICA

9 de dezembro de 2019


Curta e Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

MARCO AURÉLIO E A FILOSOFIA ESTOICA

Valdir Vianna

Sempre gostei muito da ideia de propagar o estoicismo aos quatro ventos, seja pelos meios de comunicação que escrevo ou no meu livro, que se tudo der certo neste mês estará em minhas mãos. Considero-me um adepto do estoicismo, os que me rodeiam nunca perguntaram se quer o que significa isso, tão pouco leem o que escrevo por aí, porém, é preciso compreender o que se passa na cabeça deles, ora não dispõem de tempo para o lado intelectual da vida, ora estão “muito ocupados pra pensar”, como cantava Raul, enfim, os motivos são tantos, mas não tem problema, pois mesmo sem saberem eles fazem parte da minha vida estoica.

Por que digo isso? Porque o grande Imperador Filósofo Romano, Marco Aurélio, do século 2 d.C. já nos alertava em seu clássico livro, chamado “Meditações”, de que por mais que o desânimo nos tome conta e sejamos invadidos por sentimentos de indiferença, é preciso compreender que não se pode lutar contra aquilo que não se tem domínio.

Mas, o que Marco Aurélio disse?

Disse ele: “Nada de desgosto, nem de desânimos, se cabas de fracassar, recomeça!”.

Isso é válido para tudo na vida, principalmente se você é do tipo de pessoa que só comete erros na vida. É preciso saber identificar certas coisas que apodrecem nossa convivência para que não se sofra sem motivos. Seja você ou a pessoa que tem que lhe aturar.

Marco Aurélio escreveu suas Meditações em descansos de batalhas, pois era um imperador, mas antes disso um militar, sábio, corajoso, discípulo da Filosofia Estoica e que não pulava em galho seco. Aos 11 anos já conheceu a Filosofia Estoica e fez dela um hábito de vida, comandou por quase vinte anos seus exércitos e não só administrava como também humanizava as relações de poder. Seus escritos são repletos de estudos e aforismos sobre ética, moral, política, felicidade e morte.

Como um bom estoico, Marco Aurélio sabia bem que se lamuriar por futilidades e se preocupar com tolices é o que pode haver de pior na convivência e relações humanas. Não chegou a ser um pensador completamente original, pois muitas de suas ideias foram baseadas principalmente em Epicuro, Filósofo grego do século IV a.C, porém, isso não vem ao caso, para mim é uma imensa fonte de sabedoria.

Por que deveríamos tentar adotar o estoicismo em nossas vidas e o que fez de Marco Aurélio um grande filósofo?

Caro leitor, é bastante percebível que não quero que largues o que fazes e passe a adotar preceitos estoicos como se fosse um mantra e tal, não, quero apenas que investigue o que é o estoicismo e entenda que ele lhe aproxima da realidade e não da superficialidade.

Marco Aurélio lhe diria inúmeras coisas para passar a ter uma vida mais equilibrada e sensata. Vamos começar por algumas valiosíssimas dicas.

 

  • SE NÃO GOSTA DE ALGUÉM, EVITE FAZER O QUE ELE FAZ!

 

“O melhor modo de vingar-se de um inimigo é não se assemelhar a ele.”

 

Se não gostamos de alguém, tenhamos paciência, avaliamos a situação e nos afastamos de tudo que ela nos cerca, pois se fizermos o que elas fazem seremos iguais a elas, e isso não nos fornece virtude alguma.

 

  • PENSAR COM ALEGRIA É ENVELHECER COM SABEDORIA!

 

“A nossa vida é aquilo que os nossos pensamentos fizerem dela.”

 

A frase acima da citada por Marco Aurélio é de minha autoria e a fiz baseando meus pensamentos nos próprios pensamentos que o estoicismo me ensinou. Parece confuso? Parece, mas não é! Tudo aquilo que pensamos, normalmente é o que executamos, então se pensarmos bem, faremos o bem, se nossos pensamentos forem errantes, seremos errantes.

 

  • SÓ ACEITE CRÍTICAS DAQUELES QUE SÃO DIGNOS DE CRITICAREM

 

“Antes o reprovamento por um gênio do que um louvor de um idiota.”

 

Frequento quase sempre os mesmos lugares, volta e meia escuto um tolo relinchando asneiras, dizendo sobre suas posses, vaidades, ideias vazias, respeito seu direito em opinar, mas desde que não me critique sendo esse, um não digno de virtude, não que eu seja digno de virtude, mas é preciso escutar as boas mentes e os experientes, não que estejam sempre certos, porém, já avante dos medíocres.

 

 

 

  • SE IMPORTE MENOS COM A VIDA DOS OUTROS, ELES SERÃO SEMPRE OS OUTROS

 

“Quanto não ganha em tranquilidade quem não se preocupa com o que o vizinho diz, faz ou pensa, mas apenas com os seus próprios atos.”  

 

O que me interessa se meu vizinho comprou um carro novo ou ainda, se a TV dele é de última geração? A menos que ocorra algo grave, que infrinja a lei e me atinja de alguma forma, quanto menos nos preocuparmos com a vida dos outros melhor para nossa capacidade cognitiva, pois assim dedicaremos mais tempo a quem realmente interessa: nossa mente.

 

O que aprendi com o estoicismo e por que me tornei adepto?

Quando vos falo sobre a minha adoção ao estoicismo, não quero apenas dizer sobre os prazeres moderados que Epicuro escrevera, mas sim, sobre a forma de vida melhorada que adquiri após adotar preceitos estoicos.

É preciso entender que o estoico entende a natureza como razão, isto é, somos governados por uma força superior que é a ordem de tudo, (chame você como quiser, Deus, Shiva, etc), e como não podemos lutar contra algo que não temos escapatória, temos que compreender que as coisas tem um fim, por mais que não aceitamos tal fato.

No estoicismo aprendi que sou totalmente responsável por tudo que faço e digo, meu propósito ético e moral deve ser sempre fazer o bem, assim terei paz de espírito aqui e agora, sem esperar um julgamento a posteriori.

Aprendi a valorizar os amigos de forma sagrada assim como a família, pois quem me ensinou isso foi Epicuro, em seus escritos ele chama isso de “um dos três caminhos para a felicidade”, motivo esse que me faz ter “nossos chatos prediletos” – como dizia Mario Quintana – sempre por perto, seja no cotidiano ou finais de semana, amizade é pra ser cultivada e honrada, mas claro, somente àqueles que permanecem e merecem tais admirações.

Aprendi a compreender que inúmeras coisas que me acontecem diariamente não estão sob meu controle, por isso não devo me preocupar, devo sim, ficar espantado,  – característica essencial para o pensamento filosófico – porém, ao invés de ficar me lamuriando pelas crianças que passam fome na África e ficar me iludindo que um dia poderei ir lá às ajudar, posso tranquilamente ir até o serviço de assistência social da minha cidade e doar agasalhos, alimentos, brinquedos e muitas coisas que beneficiarão algumas pessoas aqui, que me cercam e que poderei ajudar.

Olhe só que maravilha, Madre Tereza de Calcutá disse certa vez, “Amar quem está longe é fácil, difícil é amar que está do nosso lado”.

O estoicismo é isso! Um modo de vida e não um acúmulo apenas de conhecimento ou de diplomas na parede. Só se pode chamar-se de estoico aquele que compreende tais lições e às coloca em prática no dia a dia. Marco Aurélio, Epiteto e Sêneca foram grandes mentes das quais vocês podem ler seus escritos e adotar algumas ideias, garanto que se tornarão pessoas melhores.

Melhor do que ontem e do que muitos, mas claro, sempre com humildade e coragem para aprender e outrora ensinar.

Obrigado pela leitura.

Valdir Vianna.

“Pensar com alegria é envelhecer com sabedoria”.

 

Os comentários estão desativados.

error: Conteúdo protegido !!!